Não venha trabalhar, venha mudar!

Fiquei pensativo com essa chamada da consultoria McKinsey (http://www.mckinsey.com/) para profissionais interessados a trabalhar na empresa. Imaginando como essa postura que todos esperam do novo “trabalhador” irá alterar a formação de nossos jovens nas universidades. O conceito de trabalho, definitivamente mudou. Trabalho não mais aquela atividade cujo horário começa das 8h da manhã até as 18h da tarde com duas horas de intervalo para almoço. O “trabalho” está cada vez mais flexível e sendo modificado, e não adianta espernear nem ir as ruas fazer passeatas. Tem que estudar, estudar, estudar…. e talvez, daqui a pouco, nunca se aposentar.

Considero o trabalhar como fazer o tradicional e esperado, numa empresa tradicional, com um salário tradicional. Mas, mesmo o tradicional passaporte alagoano passou por uma repaginação e agora temos chefs, ao invés do chapeiro, pratos e sanduíches gourmets, ao invés do velho “passa” com carne moída e salsicha com bastante maionese, e um furgão estilizado (o truck do food), ao invés da velha Kombi de pneu furado e capim cobrindo o soalho. Fuditruque Alagoas (até uma boa marca, eheheh). Pois é meu amigo, o tradicional não pode estar distante da vanguarda, e a vanguarda aqui é aprendizado, conhecimento, tecnologia. Além de ralação, suor e lágrimas.

Já o “venha mudar” está no fato que não se pode ser mais o “trabalhador” (uso trabalhador entre aspas por ainda não ter achado uma terminologia melhor) tradicional, mas estão em jogo habilidades profissionais que vão além dos currículos normais ensinados de alguma forma (triste isso) nos quatro anos de universidade (considerando que o cidadão tenha um curso universitário!!!). De verdade, espera-se capacidades de aprendizado em qualquer situação e em para qualquer direção. O “trabalhador” é uma mistura do MacGyver com o Bear Grylls, o cara que tinha habilidades preparada para um ambiente conhecido das cidades e evolui para habilidades de sobrevivência em qualquer ambiente. Antigamente se um engenheiro virasse suco era vergonhoso, atualmente um médico se torna rei das esfihas, escreve livro, se torna coaching para novos empreendedores e roda os talking shows noturnos falando de suas habilidades e seu sucesso. Isso é que é mudar.

Então caro leitor, não é só seu esforço em participar de cursos ou ser treinado na última metodologia de ensino de Harvard, que vai te deixar up-to-date em suas capacidades, mas sim a aplicação concreta desse seu conhecimento, a quem você está ajudando, qual trabalho você está fazendo, em que você está empreendendo?

Boa reflexão e boa sorte!!!