O que todo o empreendedor deveria saber antes de empreender.

Na história recente da humanidade, mais precisamente após a revolução industrial, de tempos em tempos existe uma grande transformação nos caminhos da evolução nos sistemas produtivos existentes. Nesse exato momento estamos vendo uma série de empresas e tecnologias estimulando essa transformação, como é o caso das ameaças nos mercados de TV aberta, com o Netflix; no mercado de sistema de transporte das cidades, com o UBER e os veículos autônomos; ameaças ao sistema de manufatura tradicional, com as impressoras 3D, entre outras profundas transformações que estão por vir com a internet das coisas, inteligência artificial, bio e nano tecnologias.

Contudo, as tecnologias já existentes ou mesmo as consideradas antigas não irão desaparecer, mas deverão se recombinar com as tecnologias emergentes para atender as novas demandas e suas particularidades. Isto justifica, por exemplo, por que os empreendedores não precisam se afastar das tecnologias existentes, mas buscar melhora-las e entregar valor de modo mais adaptado a nova realidade tecnológica e do consumidor. Podemos ver isso claramente com os aplicativos de entrega de comida pronta a domicílio, que junta os restaurantes e as facilidades da internet e dos smartphones em um só serviço.

Então, como podemos perceber essas oportunidades?

O primeiro passo é entender qual o mercado o projeto da empresa irá atuar, a partir dessa noção, é possível então verificar a configuração desse mercado em termos da tecnologia vigente. De acordo com o tipo de tecnologia dominante em um mercado é possível classifica-lo em duas configurações. Uma configuração é a empreendedora, ou seja, nesse mercado não existe uma tecnologia padrão, dominante e de baixo custo, nesse caso as oportunidades são altas, mas por outro lado, é mais difícil conseguir obter escala produtiva e lucros relevantes, mas é um ambiente interessante para as pequenas empresas. O desafio aqui é o posicionamento inicial no mercado por meio de um novo modelo de negócio. Veja essa reportagem no site Agenda A (http://migre.me/wn1Z4).

Outra configuração é a consolidada, nesse caso existem poucas oportunidades, uma vez que o modelo de negócio está consolidado, os canais de difusão da tecnologia/produto já são de propriedade de alguma grande empresa e a empresa geralmente funciona como uma plataforma para seus próprios produtos e marcas ou para empresas menores utilizarem sua tecnologia. Nesse caso o desafio é aumentar o número de usuários e o conhecimento público a respeito da usabilidade dos recursos da empresa. Veja um exemplo dessa estratégia aqui: http://migre.me/wn25q.

Por fim, entendendo essas duas configurações de mercado fica mais fácil combinar tecnologias e adaptar soluções de última geração com necessidades prosaicas do mercado consumidor. Mas esse é uma capacidade do empreendedor e que pode ser desenvolvida. Mas essa questão fica pro próximo post.

Boa sorte para todos!