Em junho de 2013, alguns disseram que o Gigante de Pindorama tinha acordado. Mas deixando interpretações de lado, o que se percebeu de verdade foi a força de uma sociedade conectada que movimentou o Brasil durante quase dois meses com mobilizações espontâneas articuladas via redes sociais digitais. Um resultado da conectividade.

A conexão entre pessoas por meio de dispositivos digitais está causando mobilizações e revoluções, da Primavera Árabe, no Egito, ao Black Lives Matters, nos EUA. Todos movimentos civilizados e inclusivos.

A conectividade hoje é inclusiva, pois, nenhum desses movimentos citados foi personalista, mas mobilizou multidões sem rostos, mas com um ideal. A conectividade forma novas redes sociais, pois, sendo o ser humano gregário, as opiniões de grupos e simpatizantes são relevantes para nossas decisões e as multidões se movimentam por um ideal mobilizador dentro de uma rede social, ou de redes sociais. Família, consumidores, usuários, moradores, todos grupos e formadores de suas redes sociais, influenciadores e influenciados.

E também, a conectividade permite uma nova competitividade local, onde a horizontalidade dos nichos de mercado, da cauda longa é relevante e cria vantagem para a pequena empresa, tanto quanto a verticalidade das economias de tamanho (escala), das vantagens comparativas e do poder de mercado das grandes empresas. Uma nova forma de competitividade.

É nesse contexto que Alagoas aparece, por meio de uma empresa de infraestrutura de redes que com uma estratégia bem montada e a convergência momentânea de esforços no Sistema Estadual de Inovação, conseguiu se consolidar e alavancar seu valor de mercado para mais de R$ 300 milhões. Essa valorização dos ativos da empresa é resultado do esforço da empresa que, após uma longa batalha local, consolidou uma das mais modernas, ou pôde-se dizer, a mais moderna Rede de Infovia de dado entre os estados brasileiros, enfrentando as gigantes de telecom. Essa rede de dados conecta escolas, delegacias, hospitais, postos de saúde, entre outros órgãos de utilidade pública, garantindo conectividade e inclusão.

Uma rede estratégica de fundamental importância para o funcionamento interligado das instituições públicas. Essa rede conecta órgãos do Estado, escolas e municípios que não representam um mercado que possa ser considerado pelas grandes empresas.

Nesse mês de agosto a empresa recebeu um aporte de US$ 75 milhões (R$ 230 milhões) de um fundo de private equity (https://goo.gl/uZop94). Esse é o fato a se comemorar e a pensar em conectividade como uma força para todas as empresas inovadoras. A inovação da Aloo Telecom é atuar na cauda longa da conectividade, trabalhando em nichos no mercado de infraestrutura de redes em fibra óptica, onde grandes empresas não querem entrar, mas que a urgência da conexão digital para os negócios surge como oportunidade. Atualmente são 29 mil Km de fibras no Nordeste, ligando rincões, empresas e órgãos da administração pública que em outra situação não estariam no século XXI (https://goo.gl/WgC86v).

O sucesso da Aloo Telecom, uma pequena empresa alagoana, em captar o maior investimento internacional feito em uma empresa no estado mostra que as empresas locais de tecnologia possuem capacidade para trazer competitividade nesse setor. Além da Aloo, é possível listar uma série de empresas de base tecnológica, intensivas em ciência e inovação, que se apresentam como atores relevantes no Sistema Estadual de Inovação, caso este mantenha uma articulação mínima necessária e consolide uma governança eficiente. Empresas como Apícola Almar, Apícola Fernão Velho, Innovate Desenvolvimento da Informação e Comunicação LTDA, Braus LTDA, Clínica Micro Cirurgia Ocular, Hand Talk Serviços LTDA, HRM Informática LTDA, Indústria Parisotto LTDA, Interacta Química LTDA, Meu Tutor Tecnologias Educacionais LTDA, Plus Estúdio Web Ltda, SED – Soluções em Engenharia e Desenvolvimento S/S LTDA, Verdom Indústria e Comércio LTDA, são fortes candidatas à modificarem o panorama da competitividade em Alagoas. Tudo isso baseado na conectividade.

Pensamento estratégico e visão de futuro no âmbito da empresa, articulação e governança no âmbito do ambiente de negócios e vontade política para oportunizar o desenvolvimento local no âmbito dos governos Estadual e Municipal, são ingredientes que podem alavancar um possível avanço econômico em Alagoas quando as nuvens cinzas dessa crise forem embora.

Sendo assim, bom trabalho e boa sorte!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s